O perfeccionismo muitas vezes é apoiado e visto como algo bom, de modo que existem pessoas ministrando a respeito dele como algo a ser alcançado e admirado. Você já deve ter visto muitas pessoas dizendo frases como “o perfeccionismo é ótimo!”, “o perfeccionismo é uma qualidade”, sendo algo até valorizado em entrevistas de emprego e em determinadas palestras de capacitação pessoal e religiosa. Contudo, como já vimos em alguns exemplos no vídeo acima, o perfeccionismo pode ser algo muito prejudicial e perigoso, com devastadoras consequências psicológicas, físicas e sociais. E mesmo não sendo considerado uma doença, tem sido um dos vilões que têm contribuído para o aumento drástico dos transtornos mentais, tanto para quem, de fato, se molda a essas crenças limitantes do ser “perfeccionista”, quanto para quem convive com uma pessoa que possua essa personalidade, pois este ciclo constante de buscar pela perfeição acaba ferindo e magoando muitas pessoas a seu redor.

Mas há também aqueles que acreditam ou fingem ser perfeitos  a partir das crenças que acreditam, mas muitas dessas crenças são limitantes, mal interpretadas. Podemos ver isso claramente no contexto religioso, no qual existem líderes, pastores e crentes sendo massacrados pela depressão, ansiedade e outras limitações da mente, mas, por viverem em um cargo de autoridade ou cobrança a partir das suas crenças, calam-se e vivem um vida de aparência, com medo de as pessoas que têm as mesmas crenças julgarem que possivelmente essa limitação da mente seja consequência de um  pecado, brecha ou demonização da situação.

Você conhece alguém assim? Talvez tenha se identificado ou lembrado de alguém!

Faz-se importante deixarmos claro que não somos contra os crentes evangélicos ou religião.

 

Entendemos e devemos compreender que crente e cristão não são sinônimos! Crente é aquele que crê em algo, e cristão é aquele que pratica os ensinamentos de Cristo e, infelizmente, no contexto religioso, existem muitos crentes que, apenas creem de forma limitada, havendo poucos cristãos genuinos, ou seja, aqueles que praticam e perseveram a ser  o que de fato Jesus ensinou. Também sabemos que para ser cristão há necessidade de primeiro ser crente, CRER, mas apenas a crença em Cristo não faz alguém ser um cristão, faz com que seja apenas um crente que não pratica. Ou seja: acreditar em Jesus, mas não praticar os ensinamentos passados por Ele.

A Starday quer trazer, com base no conhecimento, o equilíbrio à vida. Mas, para equilibrarmos a vida, temos que procurar compreender os pilares mais importantes que a constituem.

O ser humano pode ser visto por mais de um ângulo, e não podemos limitar nossa visão. O pilar espiritual é importante para a nossa vida, deve ser trabalhado em nós, mesmo se na sua vida existir um bloqueio ou preconceito — e sabemos que quando um determinado texto envolve religiões e crenças, as opiniões mais se divergem. Sendo assim, faz-se necessário, sendo você cristão ou não, que procure a entender primeiro, antes de julgar, pois não estamos aqui para falar de religião e, sim, de espiritualidade, a qual Cristo usava a seu favor e falava a respeito.

Além disso, da mesma forma que crente e cristão não são sinônimos, religião e espiritualidade também não o são, de modo que cada uma possui suas características e valores. Não adentraremos nesse assunto agora, mas iremos deixar uma imagem para reflexão.

winew wiw.png

 Religião  é uma garrafa com um rótulo, espiritualidade é algo dentro dela...
muitos brigam pela garrafa e poucos bebem o conteúdo.

Enquanto muitos brigam pelo rótulo, quero te apresentar o que de fato pode te alimentar espiritualmente e, a longo prazo, ir matando a sua sede. Voltemos para o contexto do ser perfeccionista, agora com base bíblica.

Muitos dizem que buscar a espiritualidade é buscar a perfeição, outros afirmam que não é possível de alcançá-la. Eclesiastes 7:16 nos instrui sabiamente:

“Não seja excessivamente justo nem demasiadamente sábio; por que destruir-se a si mesmo?” (NVI)

Esse versículo parece confrontar valores morais  importantes, não é mesmo ?  

 

Precisamos saber que  texto sem contexto não é texto, e muitos acabam criando crenças limitantes por aderirem a essa práticas, pegarem frases bíblicas sem contexto e distorcê-las, criando crenças limitantes. Portanto, devemos entender profundamente os textos com seus contexto, senão até a própria narrativa bíblica vai sendo consumida de maneira errada, tornando-se uma crença limitante e fazendo você errar e pecar!

Afinal, o próprio satanás usou versículos bíblicos sem contexto na tentativa de fazer Jesus errar no deserto. O diabo citou o Salmo 91: 11-12, usando erroneamente os versículos para sugerir que os anjos protegeriam Jesus caso ele pulasse do penhasco.

Agora entenda que este versículo “Não seja excessivamente justo nem demasiadamente sábio; por que destruir-se a si mesmo?” sem contexto se torna uma crença limitante. e se você ler o contexto, Salomão quis nos mostrar que tudo que é exagerado se torna arrogante, afeta nossa vida, nos traz conflito, inimigo e problema para o nosso lar. Assim, precisamos ter Equilíbrio.

Entendemos então que o perfeccionismo é algo percebido no comportamento humano há muitos anos e que o conselho de Salomão não está errado, posto que a busca extrema pela perfeição, até mesmo nos valores bons, nos traz destruição.

Existem muitos que usam textos bíblicos para justificar o perfeccionismo, tal como Mateus 5:48: “Portanto, sejam perfeitos como perfeito é o Pai celestial de vocês". Mas, se olharmos para o original da palavra (contexto, etimologia), “perfeito” em grego é “teleios”, que vem da palavra “telos”, cujo significado literal é “objetivo” ou “finalidade”. Assim, entendemos, então, que o que a passagem quis dizer não é que devemos ser perfeitos, mas, sim, maduros, inteiros e termos coerência com a nossa finalidade.

O que claramente devemos entender com isso é que precisamos buscar sempre extrair o nosso melhor, dentro do nosso possível, usando as ferramentas que temos nas mãos. Sermos justos, coerentes com a realidade, respeitando as pessoas à nossa volta, sem arrogância, pois exigir de si mesmo e de outros de maneira demasiada vai gerar destruição. Destruição de relacionamentos familiares, profissionais, da sua saúde mental etc.

Frisa-se, para os ANSIOSOS E DEPRESIVOS, que é importante manter objetivos reais, bem coerentes à realidade atual, já que não conseguir atingir o objetivo gera frustração, depressão e ansiedade.

Algo que também é importante entendermos é que no contexto religioso, por má interpretação dos contextos bíblicos, existe a busca pela impecabilidade, em que o sujeito deva ser perfeito ou mostrar-se perfeito, quando não é realmente isso o que as escrituras ensinam. Já entendemos que os padrões de perfeição que estão na nossa mente são irreais, mas essa porcentagem de religiosos está tão apegada a essa ideia que acaba adoecendo a mente e levando outras pessoas a isso. Vemos um crescimento acelerado de pessoas com depressão e ansiedade na sociedade, mas algo alarmante é o crescimento dessas doenças no contexto da religião, principalmente entre os líderes religiosos evangélicos, que além de sofrerem por viver nessa lógica perfeccionista e de santidade em tudo, ensinam seus membros a viverem dessa mesma forma, de maneira incoerente à graça de Cristo. Existe um versículo, que nos atenta a essa afirmação perigosa de ser perfeito e buscar a perfeição, que se encontra em 1 João 1:8:

 “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.”

Leia esse versículo novamente!

Entendendo essa questão, ainda resta a dúvida: “qual a postura que devo tomar diante disso?”.

Tente superar a si mesmo, pois se você tem como parâmetro as suas próprias conquistas e traça objetivos para superar a si mesmo, a vida se torna cada vez mais simples. No contexto bíblico, isso é ser perseverante, o que possui características diferentes daquele que é persistente. Perseverar tem objetivo de errar, admitir seu erro, corrigí-lo e continuar rumo ao seu objetivo, já o persistente erra e continua errando, continua buscando seus objetivos com seus erros. Mas, como foi apresentado, o objetivo traçado deve estar dentro de sua realidade concreta, então, no final das contas, você deve estar em uma constante tentativa de superar a si mesmo, não em uma abstração perfeita na sua mente ou santidade, que só cabe a Deus. Aliás, Deus quer que você seja justo e íntegro, não santo, afinal, qual o próximo passo para o seu objetivo dentro da sua limitação? Não espere que seja perfeito, faça com que aconteça, ainda que de modo imperfeito. Continue perseverando!

Aprenda a lidar com a imperfeição que talvez o frustre tanto, entendendo sua humanidade e suas falhas. Seguindo dessa forma, você começa a ser mais tolerante quando não consegue atingir a perfeição. É preciso que entendamos que nós somos seres humanos e falhamos, muitas vezes, sem ao mesmo percebermos.

Romanos 3:23 nos adverte:

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.”

É nesse momento que nos deparamos com algo ainda mais poderoso do que nossos erros e falhas: a graça.

“Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus.” Efésios 2:8 NVI.

Ou seja, somos salvos pela graça, não pelo nosso esforço físico em sermos perfeitos e santos. Assim, devemos ser justos e gratos pela nossa vida e valorizá-la, pois esta é a vontade do nosso Pai, segundo a Bíblia.

“Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” 1 Tessalonicenses 5:18

Então, mesmo que pareça não ter forças para continuar a batalha, lembre-se do que ele disse:

"Minha graça é suficiente a você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza".2 Coríntios 12:9

No fim de tudo, devemos continuar sendo perseverantes, mantendo em mente nosso objetivo real, lembrando que não se encontra em nós a perfeição e que não há sentido em buscá-la com afinco. Assim, resta-nos, então, a possibilidade de sermos os melhores dentro das nossas condições.

Um ponto importante é buscarmos viver o máximo de equilibro possível em todas as áreas da nossa vida, algo que é um enorme desafio, mas, se entendermos que é possível estar em equilíbrio, até em pequenas situações e detalhes do cotidiano, torna-se mais fácil buscar esse equilíbrio.

Starday Oficial
00:00 / 09:34